• 1

  • 2

  • 3

  • 4

Pensamentos Negativos: 4 Dicas para Ajudar a Superá-los

Todos sabemos que os nossos pensamentos refletem os nossos anseios, medos e desejos mais íntimos. Por vezes, o nosso diálogo interno é positivo e motivador, outras vezes destrutivo e em tom de autossabotagem, causado por pensamentos negativos que minam a nossa mente.
Existe uma frase bastante conhecida que afirma que “nós somos aquilo que pensamos”. Portanto, a partida, podemos afirmar que temos alguma informação sobre o facto de que os pensamentos têm consequência nas atitudes que temos perante a vida e, desse modo, nos nossos comportamentos. Mas o que fazer para controlar aquilo que pensamos ou melhorar o conteúdo dos nossos pensamentos, tornando estes nossos aliados e não inimigos?Diapositivo1

Uma boa dose de autoconhecimento e um autoconceito ajustado são fundamentais neste processo, pois “pensamento não é realidade”, mas condiciona os nossos sentimentos e comportamentos. Daí que conseguir distinguir entre aquele pensamento negativo que de facto reflete a realidade e aquele que é apenas fruto da nossa mente insegura, ansiosa e cansada, não seja uma tarefa fácil. Por exemplo, uma pessoa que tende a pensar que é incompetente para desempenhar determinada atividade, mesmo que a desempenhe com êxito, pensará sempre que o resultado foi medíocre e se sentirá triste e insegura.
Porém, é possível modificar e controlar estes pensamentos negativos que sabotam a nossa autoestima e geram sentimentos ruins dentro de nós. Como? Confira algumas dicas de estratégias que preparamos:
• Identifique os pensamentos negativos. Tentar descobrir quais são os seus pensamentos de autossabotagem é importantíssimo para uma reestruturação destes pensamentos e também para conhecer quais são os seus “gatilhos mentais”, ou seja, quais são as situações geradoras destes pensamentos.
• Identifique os efeitos dos pensamentos negativos. Pode parecer simples, mas não é. Sempre que se sentir triste, desesperançado, abandonado (entre outros sentimentos negativos) procure descobrir qual foi o “gatilho mental” que disparou estes sentimentos, questione-se: qual foi a situação que vive e o pensamento que tive antes de me sentir assim? Conseguir distinguir as emoções e sentimentos negativos originados por situações reais e não apenas pelos pensamentos é a base da solução de alguns conflitos mentais que causam sofrimento psíquico.
• Procure sempre ter consciência sobre o próprio pensamento. Isto envolve “pensar sobre o pensamento”. Assumir a responsabilidade sobre o nosso conteúdo mental implica compreender que muitas vezes seguimos um determinado padrão de pensamento que gera sentimentos e consequentemente comportamentos. Faça perguntas simples do tipo “no que estava pensando quando senti medo de ir falar com ele?”.
• E nunca, jamais tente ignorá-los. Muitas situações desagradáveis reais podem ser a fonte destes pensamentos e tentar ignorá-los pode gerar conflito interno, uma vez que a fonte do problema não estará resolvida. E por outro lado, é quase impossível ignorar um pensamento intrusivo quando este surge. Portanto, partindo do princípio de que já identificou o pensamento negativo, tomou consciência deste e conhece os seus efeitos, o próximo passo será mesmo enfrentá-lo. Para isto, uma boa estratégia é tentar fazer um teste de realidade ao seu pensamento. Verifique qual a probabilidade de seu pensamento negativo ser mesmo real ou apenas resultado da sua mente e tome uma atitude para modificar aquilo que o provoca.

Para tirar suas dúvidas ou nos enviar questões, poderá entrar em contacto connosco aqui.